quinta-feira, 5 de abril de 2012

Feio é perder


RICARDO FERNANDES/DP/D.A PRESS
Zé Teodoro passou a escalar o time com três volantes, liberando os laterais
Se no futebol, o que vale é o resultado, é a “bola na rede”, como se costuma falar, a teoria popular está, novamente, sendo adotada à risca pelo técnico Zé Teodoro. Adepto convicto do “futebol eficiência”, o treinador coral chegou a mudar a postura de trabalhar em 2012. Depois de conquistar o Campeonato Pernambucano 2011 e subir o time à Série C, tudo na base da humildade, o comandante coral resolveu alterar a receita do time e, em troca, foi eliminado precocemente da Copa do Brasil. Perdeu jogos infantis pelo Estadual e ganhou contestações. De volta ao esquema defensivo, sem se importar em jogar bonito, o técnico vê o Santa embalar no ritmo das sete vitórias seguidas no PE2012.

Mesmo sem ainda mostrar um futebol convincente e sem conseguir repetir a mesmo escalação em 20 rodadas, o Tricolor nitidamente evoluiu. Contraditoriamente, cresceu jogando feio. E se “feio é não fazer gols”, para Zé Teodoro está tudo caminhando como ele quer. Afinal, quando escalava o time teoricamente mais ofensivo, jogava mal e era derrotado.

Escalando o time com três volantes e passando a liberar mais os alas, o Santa passou a jogar sem brilho, porém começou a vencer. Para isso, Renatinho e Diogo se tornaram titulares nas alas. Luciano Henrique passou a mostrar evolução no meio de campo e Geílson e Dênis Marques apresentaram uma sincronia proveniente da qualidade individual de cada um e da sequência de jogos.

A manutenção de um time para a torcida poder decorar a escalação também passou a ser um diferencial. Mexendo pouco na base, Zé Teodoro, aos poucos, redesenhou uma identidade perdida. Há até poucas rodadas, ficava evidente: ele não sabia se preferia se impor como “time grande”, ou se volta ao sistema “retranca absoluta”. Com esta última opção enfim escolhida, o treinador reencontrou a mesma força defensiva do ano anterior. E com o respaldo de nomes como Dênis Marques e Luciano Henrique, contestados pela torcida ao serem anunciados como reforços.

O passo a passo da evolução coral

Ypiranga 1 x 0 Santa Cruz

13ª rodada

Após a goleada por 6 a 0 sobre o Petrolina, a derrota para a Máquina de Costura foi um balde de água fria nas pretensões de um time que buscava a regularidade. Foi a última derrota tricolor no Estadual, a última vez que Zé Teodoro entrou em campo com apenas um volante de contenção e a última vez de Bala como titular no ataque. O Tricolor era o 5° colocado.

Frase do treinador
“Vamos entrar no G4 nas últimas rodadas, mas pode ter certeza que vamos chegar fortes”

Santa Cruz 2 x 0 Serra talhada

14ª rodada
William se firmava como titular e Zé Teodoro voltava a optar por dois volantes de forte marcação. No ataque, Geílson e Dênis Marques iniciavam a parceria da eficiência. Com a vitória, o Santa entrou no G4.

Frase do treinador
“Tivemos muita dificuldade na saída de jogo. A gente demora muito a fazer a passagem da bola da defesa para o meio e isso acaba facilitando a marcação”

Arte Diario de Pernambuco
Santa Cruz 2 x 0 Salgueiro


15ª rodada
A humildade de 2011 começou a se desenhar na escalação do meio de campo com três volantes. O resultado foi a metamorfose de volta para o futebol feio, porém eficiente. Com a antiga fórmula, o Santa Cruz venceu o então líder do campeonato, mesmo jogando mal.

Frase do treinador
“A torcida precisa entender que a gente está para acertar. Ela precisa confiar no nosso trabalho”

Santa Cruz 2 x 3 Penarol-AM (Copa do Brasil)

Foi o único jogo que o Santa Cruz foi derrotado em março. Acabou eliminado da Copa do Brasil. Foi o “tapa na cara” necessário para o time acordar de vez no Estadual. A derrota gerou calorosos protestos da torcida no dia seguinte.

Frase do treinador
“Foi a pior partida que eu tive à frente do clube, mas não é um jogo que vai sacrificar um trabalho inteiro que estamos fazendo”

Central 2 x 0 Santa Cruz

16ª rodada
Sem Dutra, que foi jogar no Japão, Renatinho ganhou de vez a posição na ala esquerda. Na direita, Diogo também ficaria em definitivo com a vaga de Arroz. O time passou a ter mais ofensividade nas alas, mas Zé Teodoro reforçou o meio de campo com Pedra e Chicão. A partir de então, o volante Memo passaria a atuar
praticamente como um terceiro homem de zaga.

Frase do treinador
“Nunca deixei de acreditar nos meus jogadores. Vamos chegar na reta final mais forte do que nunca”

Belo Jardim 0 x 3 Santa Cruz

17ª rodada
Mesmo mostrando um futebol de nível técnico questionável, o Tricolor goleou o Calango. A partida marcou a afirmação de Luciano Henrique de volta como titular no time. Weslley passaria a ter a função de um terceiro volante, quando o time não detinha a posse de bola. O sistema defensivo foi 100% mantido pelo segundo jogo seguido.

Frase do treinador
“O importante são os três pontos e confiança que essa vitória dá para o grupo sábado já buscar a segunda colocação”

Santa Cruz 3 x 2 Araripina

18ª rodada
O 4-4-2 deu lugar a 3-5-2. Foi um teste do treinador, que mudou o esquema, sem, todavia, mudar os titulares. Nesse jogo, Memo ficou ainda mais fixo como um terceiro zagueiro. Zé Teodoro deixava claro a preferência pela marcação em detrimento da ofensividade. Enquanto isso, Geílson e Dênis Marques formavam pela quinta vez a dupla de ataque e dando conta do recado.

Ricardo Fernandes/DP/D.A Press
Lateral Renatinho garantiu a vitória do Santa sobre o Náutico na última rodada
Frase do treinador
“O que está acontecendo agora, com o poder de reação nas partidas, é o mesmo que aconteceu no ano passado (quando o Santa foi campeão). Isso é um sinal”

Porto 1 x 3 Santa Cruz

19ª rodada
Repetindo o 3-5-2, o treinador ainda assim não abdicou de um meio de campo com dois volantes de marcação forte. Era a concretização do retorno do futebol feio, porém eficiente. O resultado: a sexta vitória seguida no Estadual (a maior sequência de vitórias dentre todos os 12 times).

Frase do treinador
“Jamais deixamos de perder a linha de trabalho. Jamais tivemos crise e pressão. O trabalho do Santa Cruz é a longo prazo”

Santa Cruz 1 x 0 náutico

20ª rodada
O jogo coroou de vez a boa fase coral. Faltava de um rival à altura. O êxito deu ao time a vice-liderança da competição. O bom nível do futebol, todavia, segue longe. A pegada, a marcação, são os pontos fortes. O que vem prevalecendo é a eficiência.

Frase do treinador
“Aquela humildade em marcar, do ano passado, voltou”

Fonte: Super Esportes

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Qualquer crítica que não seja construtiva será excluída.