domingo, 9 de outubro de 2011

Treze e Santa Cruz empatam por 3x3 , vaga segue em aberto


video

Apático. Irreconhecível. Drástico. Qualquer adjetivo negativo do “dicionário do futebol” pode resumir o primeiro tempo do tricolor pernambucano. 21 minutos foram necessários para abalar a estrutura tática e psicológica do Santa Cruz.
As equipes ainda se estudavam quando Everton Sena, responsável por marcação individual em Cléo, sofreu com a ironia do destino. O defensor tentou sair jogando, errou de forma bizarra, e o atacante do Treze tocou para Doda que, livre dentro da área, só fez mandar para o fundo das redes.
Abatido, a defesa tricolor quase entregou mais um gol. André Oliveira falhou na marcação, Cléo bateu na saída de Tiago Cardoso e Memo salvou na linha. Mas a apatia seguiu atuando ao lado dos comandados de Zé Teodoro. Aos 21 minutos, Cléo, sempre ele, driblou o marcador e cruzou com perfeição. Livre dentro da área, o zagueiro Thiago Cenedesi cabeceou com firmeza para ampliar o placar.
Errando muitos passes o Santa Cruz teve a primeira boa oportunidade apenas aos 32 minutos. Wesley cobrou falta sem perigo, o goleiro Lopes falhou, mas se redimiu com um milagre no rebote. Livre, Thiago Cunha perdeu uma oportunidade incrível.
A diferença da torcida, do treinador e a decisão no Arruda
Fim do primeiro tempo, 2x0 e um clima de tensão. Apesar disso, os mais de dois mil tricolores que viajaram até Campina Grande decidiram fazer valer o título de “torcida mais apaixonada do Brasil”. Os jogadores se reuniram no centro do gramado e saíram juntos para o banco de reservas com o apoio incondicional dos corais presentes no Amigão. No retorno, duas mudanças essenciais. Fernando Gaúcho e Eduardo Arroz em campo.
O apoio e Zé Teodoro mexeram com os brios dos atletas do Santa Cruz. Logo no primeiro minuto Fernado Gaúcho acertou uma bela bicicleta para defesa de Lopes. Mas não foi preciso de tanto para começar a reação tricolor. Em lance despretensioso, Thiago Cunha cruzou da esquerda e o goleiro do Treze não segurou a bola e falhou de forma bizarra. 2x1.
A equipe paraibana até tentou frear o ímpeto dos visitantes. Aos 11 minutos, após bela jogada de Cléo, Tigrão entrou livre na área e tocou na saída de Tiago Cardoso. O pesadelo parecia pairar novamente o campo tricolor. Parecia. Logo em seguida Thiago Cunha fez bela jogada e deixou Fernando Gaúcho com a missão de apenas empurrar para diminuir. 3x2.
O Santa Cruz seguiu impondo o ritmo da segunda etapa. E foi premiado aos 34 minutos. Wesley cruzou da direita, Thiago Cunha escorou para Fernando Gaúcho bater para milagre de Lopes no primeiro lance. Primeiro, pois no rebote o atacante mandou para o fundo das redes e colocou a decisão para o José do Rego Maciel. O empate poderia ser ainda melhor se Dutra não perdesse grande oportunidade já nos acréscimos.
Ficha técnica
Treze - Lopes; Ferreira (Tigrão), Anderson, Thiago Cenedesi e Cleiton Cearense (Fernando Pires); Roberto, Fábio Oliveira, Doda e Celico (André Lima); Cléo e Warley. Técnico: Marcelo Villar.
Santa Cruz - Tiago Cardoso; Everton Sena (Eduardo Arroz), André Oliveira e Leandro Souza; Memo, Chicão, Weslley, Natan (Bismark) e Dutra; Thiago Cunha e Ludemar (Fernando Gaúcho). Técnico: Zé Teodoro. 
Cartão amarelo: Fábio Oliveira (Treze) Everton Sena (Santa Cruz)
Gols: Doda, oito minutos, e Thiago Cenedesi, 21 minutos do primeiro tempo (Treze); Tiago Cunha, cinco minutos do segundo tempo
Local: Estádio Amigão, em Campina Grande.
Árbitro: Sálvio Spínola Fagundes Filho (Fifa-SP).
Assistentes: Alessandro da Rocha Matos (Fifa-BA) e Lorival Cândido das Flores (RN).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Qualquer crítica que não seja construtiva será excluída.